terça-feira, 22 de novembro de 2016

A EXPOSIÇÃO DO MUNDO PORTUGUÊS


14 comentários:

  1. O documentário fala-nos dum período de guerra que se distancia de Portugal por este não ser alvo de interesses militares, económicos ou estratégicos, causando, assim, uma tranquilidade no país.
    Ao não ser empurrado para a guerra, Portugal celebrou a Exposição do Mundo Português em 1940, de forma a celebrar a Inauguração e a Restauração da Independência de Portugal. A exposição estava dividida em três grandes partes: a área da história de Portugal, a área colonial e a área etnográfica, enaltecendo, desta maneira, um glorioso passado português, albergando inúmeros pavilhões, monumentos e espetáculos de massas. Além disto, servia para exibir a firmeza do regime perante a nação e mundo, algo que já havia sido feito pela Alemanha com os Jogos Olímpicos.
    As comemorações estenderam-se um pouco por todo o país, mas as principais cerimónias encontravam-se em Lisboa, onde se queria mostrar um país modelo e apenas as realidades que convinham a Portugal, como a limpeza e excelentes infraestruturas, escondendo dos visitantes as realidades tristes, como o contacto com a fome, miséria e degradação.
    Concluindo, a propaganda tinha um papel importante num regime autoritário, tal como a mobilização das massas, algo que estava no centro e elaboração da Exposição do Mundo Português.

    Ana Sara Sousa

    ResponderEliminar
  2. TATIANA PEREIRA

    Tendo necessidade de manter o povo submisso, calmo e ignorante, o Estado Novo estendeu a sua censura à produção cultural portuguesa, pois toda a construção salazarista poderia desmoronar com as ideias inovadoras de alguns artistas, com as opiniões de determinados escritores e com o relato de certos factos por parte dos jornalistas. No entanto, o Estado Novo não se limitou à clássica censura do trabalho desses portugueses. Na sua ambição de controlo da produção cultural, o Estado Novo criou um projecto, no qual os censurados artistas, escritores, jornalistas, cineastas, entre outros, se tornaram marionetas do regime, propagandeando, através do seu trabalho, os ideais salazaristas. As artes e as letras cultivaram nos portugueses o amor à pátria, o culto aos heróis, as virtudes das famílias, a confiança no progresso e o elogio ao regime português. A este projecto, dinamizado pelo Secretariado de Propaganda Nacional, dirigido por António Ferro (‘’um dos intelectuais mais fascistas do seu tempo’’), deu-se o nome de ‘’Política do Espírito’’, dado que com este se pretendia motivar psicologicamente o povo português, de modo, também, a distraí-lo e não o fazer pensar naquilo que, segundo os membros do governo, não lhe dizia respeito. Mas, esta cultura nacionalista que a Política do Espírito pretendia transmitir deveria ser uma que, evidenciasse uma estética actual, ou seja, que estivesse de acordo com os tempos que decorriam. Com a necessidade de modernizar a cultura portuguesa, António Ferro, solicita a colaboração de artistas modernistas, englobando assim o Modernismo com o conservadorismo português.
    (+)

    ResponderEliminar
  3. TATIANA PEREIRA
    (continuação)

    Através de exposições nacionais e internacionais, geralmente de cariz histórico, como a Exposição do Mundo Português (1940), divulgavam-se artistas e produções que propagandeavam os ideais do Estado Novo. A Exposição do Mundo Português, historicamente coincidente com o primeiro ano da Segunda Guerra Mundial, teve o propósito de comemorar a data da Fundação do Estado Português e da Restauração da Independência mas, também (e esse seria o objetivo principal e aquele que organizaria toda a ‘’memória histórica’’ da exposição), de celebrar o Estado Novo. Foi uma grande, senão a maior, manobra de propaganda por parte do regime, exigindo um enorme investimento. Ainda, o facto do resto da Europa se encontrar em situação de guerra, propiciou o aproveitamento da mesma para vincar o contraste entre o ‘’mundo em guerra e o oásis de paz e de ordem que é o Portugal do Salazar’’, isto é, Portugal desde o Estado Novo. Portugal este, que, orgulhosamente só, foi mostrando ao mundo, um passado de heróis e de uma nação com funções universais. Um país com grandiosas infra-estruturas, ‘’elegante e limpo’’ que, por cuja opinião dos seus visitantes, parecia um modelo a seguir. Para concluir, A Exposição do Mundo Português foi uma ‘’exposição do passado em que o passado era organizado para legitimar, consagrar e comemorar o presente’’, presente este que era, o grande, Estado Novo. De si, restam apenas o padrão dos descobrimentos, o museu da arte popular, e a praça do império, que comprovam a sua existência. A exposição foi encerrada a 2 de Dezembro, recebeu cerca de 3 milhões de visitantes e constitui o evento cultural mais importante do regime de Salazar.
    ‘’A expo 98 foi a única exposição, realizada em Lisboa,capaz de destronar a grandiosidade do mundo português’’.

    ResponderEliminar
  4. A Exposição do Mundo Português de 1940 foi inaugurada pelo Chefe do Estado Óscar Carmona, pelo Presidente do Conselho Oliveira Salazar, e pelo Ministro das Obras Públicas Duarte Pacheco.Passado um ano do início da II Guerra Mundial, serviu para mostrar ao resto do mundo em guerra, que Portugal tinha um governo forte e que o Estado Novo transformou o país numa nação próspera, estável e em paz.Salazar, através do trabalho desenvolvido pelo Secretariado da Propaganda Nacional chefiado por António Ferro, apropriou-se dos símbolos e heróis da nossa história, desde a fundação da nacionalidade até 1940.

    Toda a exposição repartida em 3 grandes temas: História de Portugal, as colónias e a etnografia, teve uma dimensão inédita, só ultrapassada na atualidade pela Expo 98.Constituiu o maior evento politico-cultural do regime, foi focada no nosso passado, no entanto o principal objetivo era promover e legitimar o Estado Novo e compará-lo com a grandeza e os grandes feitos da nossa história.O regime tentou a todo o custo passar uma imagem de Portugal, como um país culturalmente desenvolvido e com boas infraestruturas, a verdade é que mais de 50% da população era analfabeta e existia muita pobreza e fome no país.

    ResponderEliminar
  5. Tendo em conta o seu cárater autoritário e totalitário o Estado Novo compreendeu a necessidade de uma produção cultural submetida ao regime, assim implementado a censura a fim de manter o povo sob controlo e o Estado aproveitar-se da propaganda. A “Exposição do Mundo Português” realizada em 1940 serviu para patrocinar artistas e produções que divulgassem as tradições nacionais e populares que elevavam e elogiavam a grandeza histórica do país e a medida civilizadora dos portugueses.
    O documentário “Exposição do Mundo Português (Portugal a Preto e Branco)” mostra que em 1940 enquanto que a Europa (e o mundo) encontravam-se na 2ª guerra mundial, Portugal decide aproveitar e abrir as portas para demonstrar orgulhosamente e pacificamente os 8 séculos da sua história com uma exposição. Foi assim aproveitada pelo regime sendo propaganda do Estado Novo, com Salazar a vangloriar-se do facto de Portugal viver um grande período de “paz” durante a guerra.
    Foi visitada por mais de 3 milhões de pessoas,sendo grande parte portugueses, mas por lá passaram também muitos estrangeiros, sendo eles refugiados de guerra.
    Esta exposição tratou-se de uma amostra com várias áreas dedicadas a temas como a história de Portugal, as colónias e a etnografia. A quase totalidade das construções e monumentos erigidos para a exposição foram demolidos após o seu encerramento em 2 de Dezembro de 1940. Hoje em dia sobrevivem apenas o edifício do Museu de Arte Popular e a Praça do Império.
    Concluindo, o grande objetivo da exposição foi a propaganda a fim do regime conseguir mobilizar e controlar as massas.

    Soraia Monteiro nº30

    ResponderEliminar
  6. A Exposição do Mundo Português, foi inaugurada a 23 de junho de 1940 em Belém, no âmbito das comemorações do duplo centenário da inauguração e restauração da independência de Portugal, Salazar 2 anos antes da Exposição já anunciava a comemoração de forma grandiosa a ação civilizadora de Portugal e o papel dos portugueses no Mundo, esta Exposição foi usada como forma de propaganda do regime, mostrar a firmeza do mesmo perante a nação fazendo assim da Exposição uma celebração do Estado Novo.
    O secretariado da Propaganda Nacional dirigido por António Ferro era entidade responsável pela organização da Exposição, estava dividida em 3 áreas: a História de Portugal, Área Colonial e Área etnográfica, para além de bairros comerciais e industriais onde estava patente a historia económica do país, também pavilhões dos portos e dos caminhos de ferro, das telecomunicações e ainda o Padrão dos Descobrimentos e a Nau de Portugal, muitos destes pavilhões tinham no interior frases de Propaganda que queriam deixar a mensagem de "nascimento, ressurgimento e renascimento".
    Salazar afirmava que esta Exposição era uma grande festa Nacional, daí ter posto o país todo a ver Exposição, pois tão cedo não se voltaria a repetir, acaba em 2 de dezembro e ao longo dos anos foi deitado tudo abaixo, pois a essência desta Exposição era o seu efeito,hoje restam apenas Padrão dos descobrimentos, Museu da Arte Popular e a Praça do Império de uma Exposição visitada por cerca de 3 milhões de pessoas

    ResponderEliminar
  7. Ricardo Faria

    Em 1940 a Europa encontrava-se em plena 2° Guerra Mundial, que havia dominado grande parte da Europa, porém, Portugal encontrava-se como um país neutro. O documentário fala-nos da Exposição do Mundo Português no âmbito das comemorações da inauguração e da restauração da independência, e apesar das horríveis perturbações vividas na Europa, é inaugurada a junho de 1940. A situação europeia é ignorada e a exposição é aproveitada para estabelecer o contraste de uma Europa em guerra e de Portugal num clima de paz e ordem, e assentava na glorifição do passado histórico português através de enumeros monumentos e espetáculos de massas. Assim como os jogos olímpicos de 1936 (Hitler), esta exposição surge como um ato de propaganda, com o objetivo de demonstrar a firmeza da nação perante o mundo. Apesar desta fachada de um país exemplar, a exposição não entrava em contacto com a realidade mais triste onde estavam presentes a fome, miséria e degradação. Esta exposição vem a demonstrar o quanto importante era a propaganda num regime autoritário, que permitia a mobilização de massas, o que era o centro da sua realização. A exposição fica marcada por bastante arte efêmora, restando apenas o padrão dos descobrimentos, o museu da arte popular, e a praça do império. Ainda que se tenha realizado num período conturbado arrecadou ainda 3 milhões de visitates e destacou-se como algo inédito no regime.

    ResponderEliminar
  8. Marcelo -De acordo com o video que eu vi , o que explica a "A EXPOSIÇÃO DO MUNDO PORTUGUÊS" acima de tudo foi o entusiasmo patriótico que despertou em todo o pais, no ano de 1940 a Europa enfrentou a segunda guerra mundial , através de ofensivas rápidas, a famosa guerra relâmpago dominou a Dinamarca a Noruega os países baixos a Bélgica e grande parte da França, todos os países neutrais Portugal , Espanha e Suíça escaparam do armamento alemão.
    Todo o período que se iniciou com o instalar da guerra até a queda da França foi marcada em Portugal com um denominador comum com a distancia da guerra.
    O regime e a opinião publica gozavam de uma tranquilidade possível. No momento em que toda a Europa estava em guerra , Portugal estava orgulhosamente só, mostrando ao mundo uma proteção sobre o passado , com uma galeria de imagens heróicas da fundação e da existência nacional , da sua função universal , cristã e envagelizadora das glorias marítimas colonial do império .
    A frança rendeu-se aos alemães, um dia antes da exposição , Salazar anunciou q se iria comemorar a ação civilizadora de Portugal e o papel dos portugueses no mundo , afirmação das forças morais e políticas .
    Como aconteceu na Alemanha com hitler transformou os jogos olímpicos como num ato de propaganda , a exposição serviria para mostrar a firmeza do regime perante a nação e o mundo dividido e delancerado pela guerra .
    António ferro era um dos intelectuais mais fascistas di seu tempo sentido em que ele percebe que a propaganda tem que estar no centro da atividade do novo regime autoritário como são os regimes fascistas.
    A exposição tinha função de legitimar e consagrar e celebrar o estado novo .

    ResponderEliminar
  9. A Exposição do Mundo Português de 1940 realiza se num período onde Portugal não faz parte da guerra sendo um país neutro, a exposição tinha o propósito de comemorar a data da Restauração da Independência mas, também, tinha como principal objetivo celebrar a grandiosidade do Estado Novo. A exposição estava dividida em três grandes partes: a área da história de Portugal, a área colonial e a área etnográfica, valorizando se desta maneira, um passado de gloria do povo português, Esta enorme exposição foi visitada por cerca de 3 milhões de pessoas, sendo que grande parte destas pessoas eram portuguesas, Foi sem dúvida a maior, manobra de propaganda por parte do regime de Salazar (comparando se de certa forma aos jogos olímpicos realizados na Alemanha Nazi) para a realização deste projeto foi feito um forte investimento. O facto do resto da Europa se encontrar em situação de guerra, foi aproveitado para se demonstrar o contraste entre o mundo em guerra e Portugal. Portugal este, que de forma orgulhosa, foi mostrando ao mundo, um passado de histórico de uma nação de heróis, Um país com grandiosas infra-estruturas, elegante e bem regido, ocultando se no entanto o facto de existir uma grande pobreza no país, e do grande número de população analfabeta.

    Nelson Guerreiro nº21

    ResponderEliminar
  10. O documentario mostra que enquanto a Europa e o mundo encontravam-se mais uma vez em conflito,Portugal encontrava-se orgulhosamente só vivia se uma tranquilidade que não era comum a outras nações sendo que Portugal juntamente com Espanha e Suiça mantinham se neutros neste novo conflito.
    E é então que surge a ideia de comemorar a Fundação do Estado Portugues(1140) e a Restauraçao da Independencia(1640) atraves de uma exposiçao que iria mostrar orgulhosamente o passado glorioso portugues destacando as conquistas maritimas e territorias.
    No entanto o principal objetivo era consolidar o Estado Novo no poder da mesma maneira que Adolf Hitler fez ao transformar os Jogos Olimpicos num ato de propaganda,foi então que no dia 23 de junho de 1940 deu-se a inauguração que recebeu três milhões de visitantes encerrada em 2 de dezembro do mesmo ano os monumentos erguidos para a exposição foram demolidos,esta exposição ficou para a historia como a mais importante iniciativa cultural do Estado Novo.
    Ângelo Semedo

    ResponderEliminar

  11. Após visualizar o documentário “Portugal a Preto e Branco”, posso afirmar que Portugal, principalmente na década de 40 e nessa mesma Exposição, era um país só, pois todos os outros países estariam em guerra.
    Contudo, não fora essa advertência que impediu a visita de três milhões de visitantes a este grande evento.
    A Exposição do Estado Novo teria como base o passado, “onde o passado era organizado para legitimar o presente”, que é este novo Regime. Utilizada como propaganda do Estado Novo, a Exposição teria como essência a “a comemoração da culminância do novo regime”, tentado assemelhar o passado glorioso de Portugal (a sua independência, os descobrimentos, a colonização) ao novo Regime, onde não existiria nenhuma referência ao Futuro.
    A exposição estaria dividida em três áreas: a área da História de Portugal, a da colonial e a etográfica, entre espaços verdes, restauração, espaços infantis, (etc.). Existiam ainda diversos pavilhões onde neles existiam palavras “de ordem”, curtas mas concisas.
    Portugal encontrava-se limpo e elegante, sendo, à vista dos visitantes, um exemplo a seguir, não tendo, porém, outras noções de realidade existentes no país, onde se encontrava por vezes fome, miséria e degradação.
    Da exposição, praticamente toda destruída, estão ainda intactos o Padrão dos Conhecimentos, o Museu da Arte Popular e a Praça do Império, notando-se então que toda a exposição teria servido só e somente como ato de propaganda, enaltecendo o país, mas principalmente o Regime.
    Beatriz Passos.

    ResponderEliminar
  12. A exposição do mundo português que se inaugurou a 23 de Julho de 1940 em Belém apenas foi possível devido à ausência de Guerra em Portugal, graças a este ser um dos países neutros que não eram interessantes para a mesma, assim como a Espanha.
    O regime, que se encontrava em um período de calma, realizou a Expansão do mundo Português, a qual foi dividida em três partes importantes: História de Portugal, a etnografia e, claro, as colónias. Esta exposição tinha como objetivo promover o Estado Novo quanto à resistência de um regime perante a nação, assim como os Jogos Olímpicos na Alemanha, vangloriar Portugal, mostrando ao resto do mundo a história do país, valorizando os heróis que a criavam. No entanto, toda esta propaganda e investimento de se sobrepor ao real, Portugal escondia a realidade do que se passava no seu interior, como o facto de ultrapassar um momento de pobreza e com uma grande parte da população analfabeta.
    Embora tenha sido comemorada com a presença de três milhões de pessoas, estes apenas falavam o português.
    Esta exposição, acabou por não ser grande o suficiente, o que levou a que uma nova exposição fosse recriada mais tarde em 1998, todavia, esta não tendo também o resultado desejado.


    Kátia Ablé, nº18/19
    12ºH2

    ResponderEliminar
  13. Exposição do Mundo Português ( organizado pelo SPN) Inês Silva

    No ano em que na Europa irrompe a segunda guerra Mundial é organizado em Portugal (23 de Junho a 2 de Dezembro de 1940), a Exposição do Mundo Português, esta é possível devido ao facto de Portugal adotar uma postura de neutralidade, não participando na grande guerra, torna possível a realização deste evento que tinha como principal objetivo celebrar a celebrar a data de fundação do estado Português (1140) e a Restauração da independência (1640) e fazer propaganda ao regime.
    Esta foi a maior exposição do género realizada no pais (até a Expo 98). Teve lugar na Praça do Império (de forma distribuída)foi dividida em 3 partes: a areà de história de Portugal, a área colonial e área etnografica. A exposição transparacia o glorioso passado histórico, era composta por vários pavilhões e nela aconteciam inúmeros espetáculos que moviam massas.
    Com este evento o Estado pretendia, além dos motivos já mencionados, passar a imagem de Portugal como um país , desenvolvido a nível cultural e a nível de infraestruturas (é construído por exemplo o jardim em frente aos Jerónimos).

    ResponderEliminar
  14. Em 1940, num ano que na Europa decorre a segunda guerra mundial onde Portugal mantinha-se neutro perante a guerra, surge a ideia de comemorar a Fundação do Estado Português, através de uma exposição que iria mostrar o passado glorioso português destacando as conquistas marítimas e territoriais com o objetivo de enaltecer o Estado Novo assim como a Alemanha fez com os Jogos Olimpicos. O que não acabou por correr como se esperava pois foi inaugurada a 23 de junho de 1940 e encerrada a 2 de dezembro de mesmo ano pois como a Europa atravessava um momento de guerra acabou por afetar o reconhecimento da esposição sendo que as 3 milhoes de pessoas falavam portugês e o unico país convidado foi o Brasil.
    Esta falta de reconhecimento da exposicão levou a que os monumentos erguidos para a exposição fossem demolidos, sobrando apenas alguns. Esta exposição ficou para a historia como a mais importante iniciativa cultural do Estado Novo

    Bernardo Guerra 12h2

    ResponderEliminar