segunda-feira, 8 de maio de 2017

VAMOS AO TRABALHO

Podem colocar aqui as respostas aos exercícios das pp. 31, 34 e 37 do manual, realizados na aula.

15 comentários:

  1. Ruben Barbacena. Nº29

    Página 31

    Exercício 1- As três áreas nas quais se poderia estreitar a união entre os Europeus são: A moeda, o novo estatuto institucional e por fim o mercado único.

    Exercício 2- O mercado único consiste num grande mercado sem fronteiras para os países europeus, consiste na livre-circulação de pessoas, bens e de capitais criando assim um contacto privilegiado entre os países membros da união europeia.

    3-O Euro é um dos mais importantes fatores de integração, pois, possibilita-nos falar e comunicar todos na "mesma língua".
    A existência de várias moedas seria um dos principais obstáculos ao mercado único e a uma Europa unida e forte, pois para isso temos de estar em sintonia.
    O Euro é a única moeda que consegue rivalizar com o dólar, o que acentua mais o "orgulho" em ser europeu.

    4-O conflito "Norte-Sul" a que se refere o documento 22C tem origem na austeridade e nas reformas impostas pela Alemanha como requisitos a receberem biliões de euros através dos fundos europeus.

    Página 34

    1- O organismo que detém o poder executivo da União é a Comissão Europeia.

    2-O traço em comum entre Portugal, Grécia e Espanha ( as três democracias do sul) está relacionado com o facto de serem três regiões atrasadas e com dificuldades económicas que necessitavam de uma reestruturação vital e de apoios financeiros (PAC).

    3- As duas vantagens de Portugal para a ZEE são: A oportunidade de sair do isolamento politico e o impulso à reestruturação económica.

    4- A expressão "outra Europa" é usado com o intuito de se referir aos países do oriente que estiveram sobre a alçada da URSS, e que estão num processo de integração para serem estados membros da UE.

    Página 37

    1- De acordo com o Artigo 8º do Tratado da União Europeia, acima de tudo as pessoas que nascem nos estados membros são primeiro europeus e apenas depois das nacionalidades dos respetivos países, esta medida serve como finalidade para reforçar o facto de sermos europeus e participarmos de facto em algo maior que os nossos países.
    De seguida no Artigo 8ªA é referido que qualquer cidadão da UE poderá circular livremente pelos estados membros, o que dá uma sensação de nunca sairmos do nosso "território".
    E por fim, no Artigo 8ªC qualquer cidadão da UE que resida num estado membro que não seja o seu, tem direito de eleger e de ser eleito nas eleições do parlamento europeu.
    Tudo isto serve para reforçar de facto o espírito de pertença à UE.

    2- A Europa de facto já é uma super-potência porém ainda não atingiu o seu potencial na sua forma mais pura e ainda tem muito que melhorar. Temos o exemplo dos Estados Unidos da América, um cidadão do Texas é Americano, já na Europa um cidadão da Bruxelas é Belga.
    Apesar da aparente coesão cada pais é diferente, tem os seus costumes, as suas particularidades e interesses, sendo este fator um dos principais obstáculos a uma Europa unida.

    3-O número de votantes nas eleições Europeias em 1960 estava em 67% porém tem vindo a descer desde então, sendo que em 2014 apenas existia uma percentagem de 43%.
    Estes dados são reveladores de que o espírito europeu tem diminuído e se tem degradado com o tempo.
    Como se pode observar, essa diminuição no espírito europeu trouxe repercussões que em nada beneficiam a UE.

    4- As duas alterações introduzidas no Tratado de Lisboa de forma a melhorar a coesão entre os europeus são:A criação de um Alto Representante da união, de forma a auxiliar os negócios estrangeiros.
    A segunda medida é reforçar a solidariedade entre os estados membros.

    5-A principal diferença entre o Tratado de Lisboa e o Constitucional é que o Constitucional pretende uma colectividade europeia com uma vincada e autónoma identidade.

    ResponderEliminar
  2. Décia Daio e Ana Valente
    Pg.31
    1- As três áreas sao: segurança, defesa e moeda.
    2- Segundo Jacques Delors, o mercado único consiste num grande mercado sem fronteiras com livre circulação de bens, pessoas e capitais, realizando um verdadeiro espaço económico sem fronteiras.
    3- O euro é um poderoso fator de integração por permitir uma união de rivalizar com o dólar norte americano no mercado mundial.
    4-
    Pg.34
    1-O órgão que detém o poder executivo da União é a comissão europeia.
    2- As três democracias do sul atravessam uma crise económica.
    3- A CEE ofereceu a Portugal a saída definitivamente do seu isolamento político e a oportunidade de sair da crise económica que se fazia sentir no país.
    4- A "outra eurpoa" refere-se ao lado Oriental da Europa que anteriormente se encontrava sobre o domínio da URSS.´
    Pg. 37
    1- Qualquer cidadão pertence a um dos Estados Membros torna-se cidadão da UE, goza o direito de circular livremente no território dos Estados-Membros e beneficia de proteção por parte das autoridades diplomáticas.
    2- Sendo a Europa uma Europa de nações livres, independentes e soberanos, nunca se irá tornar num só Estado.
    3- A participação dos cidadãos nas eleições europeias é cada vez menor, mostrando o desinteresse crescente dos cidadãos, um dos desafios da UE.
    4- O Tratado e Lisboa procurou reforçar a participação dos cidadãos na comissão europeia.

    ResponderEliminar
  3. Ricardo Faria e Daniela Epifanio

    P. 31

    1. As três áreas que, segundo J. Delors, poderia estreitar-se a União Europeia seria na segurança e defesa, moeda e na constituição de um grande espaço económico europeu.

    2. O conceito "mercado único" consiste num espaço económico sem fronteiras, onde é possível a livre circulação de pessoas, bens e capitais dentro da comunidade.

    3. O euro é considerado um poderoso fator de integração pois os países abdicaram do maior símbolo de soberania e adotam o euro, em função do ideal da Europa Unida. O euro dá à Europa uma moeda forte capaz de competir com o dólar e permite à Europa tornar-se a maior potência do mundo.

    4. O "conflito Norte-Sul" referido no jornal Der Spiegel refere-se às crises de grandes proporções sentidas pelos países do sul e à austeridade e reformas impostas, que estes tiveram que adotar para receberem os resgastes europeus.

    P. 34

    1. De acordo com o organigrama o orgão que detém o poder executivo na União Europeia, é o Parlamento Europeu.

    2. O aspeto comum às três democracias do Sul que colocavam reservas aos responsáveis da CEE era que estes países se encontravam bastante atrasados relativamente aos restantes membros.

    3. Duas vantagens para Portugal com a sua entrada na CEE foram a superação dos problemas de política interna e o facto da CEE oferecer a Portugal a oportunidade de sair do isolamento político.

    4. A expressão "outra Europa" refere-se aos países de Leste que tinham estado por detrás da Cortina de Ferro.

    P. 37

    1. Três aspetos em que a cidadania europeia concorra para reforçar o sentimento de pertença à UE são a instituição da cidadania da UE, ou seja, qualquer cidadão que tenha nacionalidade de um Estado-membro é então cidadão da UE. Outro aspecto é o facto de qualquer cidadão da União ter o direito de circular e permanecer livremente no território de Estados-membros, e por fim, qualquer cidadão da União Europeia que resida num estado-membro que não seja o da sua nacionalidade, tem direito de eleger e de ser eleito nas eleições municipais do Estado residente, nas mesmas condições dos que são naturais desse país.

    2. A afirmação de Tony Blair, "a Europa pode ser uma superpotência, mas nunca um super-Estado", afirma que a Europa é de facto uma superpotência mas destaca sobretudo as dificuldades da união política uma vez que esta abrange vários países torna-se difícil conjugar os interesses de cada nação, nunca podendo ser considerados um super-Estado.

    3. O número de votantes nas eleições de 1960 estava em 62% e desde então o número de votantes tinha vindo a diminuir atigindo os 56,6% de votantes em 1994. Na votação seguinte (1999) atinge-se a mair queda do número de votantes, cerca de menos 7%, chefando apenas aos 49,5. Em 2014 a percentgem de votntes foram apenas 43%.
    Esta diminuição do número de votantes a cada eleição que passa demonstra que o espírito de descrença vivido pelo cidadão comum.

    4. As duas alterações introduzidas pelo Tratado de Lisboa que visam reforçar a coesão entre os Europeus são a nomeação do Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança e também o facto de um número significativo de nacionais de Estados-membros, poder tar a iniciativa de convidar a Comissão Europeia, no âmbito das suas atribuições, podendo apresentar propostas adequadas sobre matérias sobre as quais esses cidadãos consideram necessário um ato jurídico da UE para aplicar os Tratados.

    5. A principal diferença entre o Tratado de Lisboa e o Tratado Constitucional, é a existência de um simbolismo na Constituição que permitia servir de momento constitucional para uma coletividade europeia vincada e autónoma identidade, algo qur acaba por ser rejeitado no Tratado de Lisboa.

    ResponderEliminar
  4. p.31

    1.A União, poderia segundo Jacques Deolrs estrear-se nas áreas da "segurança e defesa, assuntos ainda tabus" (doc.22A)e da economia (criação de um mercado e de uma moeda única).

    2. O mercado único consiste num "mercado sem fronteiras" que permite a "livre circulação de pessoas, de bens e de capitais dentro da comunidade." (doc.22A)

    3.O euro considerado um fator de integração porque permite a implementação de esforços conjuntos na construção da União Europeia, sendo que, "as velhas nações europeias demonstraram ser capazes de renunciar ao exercício de uma parcela significativa dos seus poderes (...) transferindo esse exercício para o Banco central Europeu".

    4.O conflito Norte-Sul a que se refere o jornal Der Spiegel, diz respeito à "austeridade e as reformas" impostas pela Alemanha, a todos os países em crise como "condição para receberem os biliões de Fundos Europeus." (doc.22C)

    P.34

    1.O orgão que detém o poder executivo da união é o Parlamento Europeu.

    2.Os aspetos comuns ás três democracias do Sul (Espanha, Portugal, Grécia) eram as dificuldades económicas que estes atravessavam, sendo países com um desenvolvimento bastante atrasado relativamente aos restantes membros. Isto levou à canalização de elevadas verbas do orçamento da Comunidade para os três governos por forma a fomentas as respetivas economias.

    3. Com a entrada na CEE foi permitido a Portugal quebrar "o isolamento político" e reestruturar a economia com a "reanimação da indústria". (doc.24)

    4. A expressão a "outra Europa" é uma referência à Europa do passado, divida na 2ª Guerra Mundial e posterior Guerra fria(Ocidente e Oriente). É essa, uma Europa a deixar para trás, sendo que, no "alargamento de 2004 desenha-se a Unificação da Europa através do reencontro do Ocidente e do Oriente".

    p.37

    1.Os três aspetos em que a cidadania Europeia concorre para reforçar o sentimento de pertença á União estão explícitos no artigo 8º, sendo que os mesmos se pretendem com a integração do cidadão europeu em qualquer Estado-membro, por exemplo, na aliena A,é claro que, qualquer cidadão europeu tem livre circulação e permanência dentro do território da União,e a aliena B, por sua vez,prevê que todos os cidadãos tenham "proteção por parte das autoridades diplomáticas e consulares de qualquer Estado-Membro, nas mesmas condições dos nacionais desse Estado".
    2.A Europa nunca poderá ser um “super Estado” porque como afirma Tony Blair “as fontes da democracia da Europa são instituições nacionais representativas e diretamente eleitas” e estados como a Polónia, cujas as “populações derramaram o seu sangue” para se “tornarem Estados”, “não renunciarão facilmente a essa conquista”, ou seja não estão dispostos abdicar do seu sistema democrático e leis para um sistema democrático comum. Por outro lado devido a sua “força económica e plítica” a Europa poderá vir a ser uma superpotência.
    3. O número de votantes nas eleições europeias apresenta um decréscimo significativo, contando com total de 60% em 1960 e um total de 43,1% em 2014 (doc.27). Este decréscimo de cerca 17% da população ficou a dever-se ao facto de os esforços no sentido de promover a identificação dos cidadãos não terem colhido os resultados esperados.
    4.O tratado de Lisboa visou reforçar a coesão entre os Europeus através da ampliação do direito de participação dos ciadadãos, dando-lhes o direito de intervir diretamente junto da Comissão Europeia.
    5.A principal diferença entre o Tratado Constituicional e o Tratado de Lisboa foi o “simbolismo contido na Constituição”, ou seja o Tratado Constituicional previa uma colectividade europeia ao nível das instituições governamentais , o “que imediatamente foi rejeitado no TL”.

    Inês e Patrícia

    ResponderEliminar
  5. Raquel Santos

    P.31
    1- Três áreas nas quais se poderia estreitar a união entre os Europeus são: a segurança e a defesa, a moeda única e a constituição de um grande espaço económico europeu.
    2- O “mercado único” consiste num mercado sem fronteiras e sem obstáculos à livre circulação de pessoas, de bens e de capitais.
    3- O euro é considerado um “poderoso fator de integração” porque permite a utilização de uma moeda única, capaz de rivalizar com o dólar, assim como facilita as trocas comerciais e a movimentação de pessoas dentro do espaço europeu.
    4- O jornal refere-se à austeridade imposta pela Alemanha aos países em crise.

    P. 34
    1- De acordo com o organigrama, o órgão que detém o poder executivo da União é: a Comissão Europeia
    2- O aspeto comum às três democracias do Sul é o atraso económico e social destes países.
    3- Duas vantagens para Portugal da sua entrada na CEE são: os grandes apoios financeiros que o país precisava e um grande impulso à restruturação económica, reanimando a indústria.
    4- A expressão “outra Europa”, faz referência à união com países que pertenciam ao bloco soviético, antes da queda do muro de Berlim e que por esse motivo, tinham saído de regimes totalitários.

    P.37
    1- Três aspetos em que a cidadania europeia concorre para reforçar o sentimento de pertença são: a liberdade de circulação e de resistência em qualquer estado-membro, o direito de eleger e de ser eleito nas eleições municipais e a representação diplomática de qualquer estado-membro, quando se encontra em território que não pertence à UE.
    2- Não pode ser um super-Estado porque a Europa é um estado de nações livres e independentes e as instituições que representam cada país, como parlamentos e governos são eleitos diretamente em cada país.
    3- Verificasse que em 24 anos houve um decréscimo de quase 20% no número de votantes, o que pode significar que os europeus não acreditam que as ações do parlamento europeu tenham um impacto significativo nas suas vidas.
    4- Duas alterações introduzidas pelo TL foi o estabelecimento do direito dos cidadãos, em grupo, intervirem junto da Comissão Europeia, em que podem exigir o cumprimento e aplicação dos tratados, assim como a criação de um ministro dos negócios estrangeiros.
    5- A principal diferença destes tratados é que o TL não dá direito à União de se sobrepor à legislação nacional de cada estado-membro.

    ResponderEliminar
  6. Tatiana e Katia

    p.31

    1. As três áreas nas quais, segundo J.Delors, poderia estreitar-se a União entre os Europeus são: a segurança e a defesa, a moeda e a constituição de um grande espaço económico europeu.
    2.‘’Mercado único’’ consiste num mercado sem fronteiras, sem obstáculos, à livre circulação de pessoas, bens e de capitais dentro da Comunidade; conseguindo assim um verdadeiro espaço económico e interno de 320 milhões de consumidores que seria o mais poderoso do mundo.
    3. O euro é considerado um ‘’poderoso fator de integração’’ pois é uma moeda capaz de rivalizar com o dólar norte-americano no mercado mundial, para além de ser transferido para o Banco Central Europeu.
    4. O jornal Der Spiegel refere-se à austeridade a as reformas desenhadas pela Alemanha, que todos os países em crise tiveram de adotar.

    p.34

    1. O orgão que detem o poder executivo da União é o Parlamento Europeu.
    2. Os aspetos comuns às três democracias do Sul são o facto das tres estarem atrasadas, terem entrado ao mesmo tempo e pela necessidade de resgate ao seu desenvolvimento, o que colocou à CEE o seu primeiro desafio.
    3. O fato de permitir a Portugal quebrar o isolamento, regressando à sua origem, à Europa. E a possibilidade de melhorar a nivel economico que levaria à evolução da industria e a investimentos de grandes empresas.
    4. A expressão ‘’outra Europa’’ refere-se ao alargamento para 25 países na UE, unindo o Leste e o Oste, o Norte e o Sul.

    p.37

    1. Três aspetos em que a cidadania europeia concorra para reforçar o sentimento de pertença à União são: o direito de qualquer cidadão da união a circular e permanecer livremente no território dos Estados-membros; o direito de eleger e de ser eleito nas eleições municipais do Estado-membro de residência; e também o direito a ser representado e protegido pelas autoridades diplomáticas caso se encontre ‘’no território de países terceiros em que o Estado-membro de que é nacional não se encontre representado’’.
    2. ''Pela sua força económica e política, a Europa pode ser uma superpotencia, mas nunca um super-Estado’’ porque, a Europa é lugar de nações livres, independentes e soberanas que se unem para se deferem individual e mutuamente, sabendo que ‘’poderão ir mais longe do que se estivessem sozinhas’’.
    3. Em 1960, cerca de 62% dos cidadãos participava nas eleições europeias. 54 anos mais tarde, em 2014, apenas 43% o fizeram. Esta tendência decrescente deve-se ao facto de, os esforços feitos no sentido de promover a identificação dos cidadãos com a Europa e as suas instituições não terem colhido os resultados esperados.
    4. O Tratado de Lisboa procurou recuperar muitas das propostas da Constituição, nomeadamente as da criação de certos cargos. Por outro lado, ampliou ainda o direito de participação dos cidadãos, dando-lhes o direito de intervirem diretamente junto da Comissão Europeia.
    5. A principal diferença entre os dois Tratados recai sobre o ‘’simbolismo contindo na Constituição’’ que permitiria servir de momento constitucional para uma coletividade europeia com uma vincada e autónoma identidade.


    ResponderEliminar

  7. Marcelo Assis
    1- As três áreas nas quais , segundo J.Delors, poderia estreitar-se a união entre os Europeus (doc.22A) era a segurança, a moeda e a defesa.
    2- O"mercado único" consiste num grande mercado sem fronteiras, todos os obstáculos com livre circulação de pessoas , bens e capitais dentro da comunidade , realizando um verdadeiro espaço económico sem fronteiras, um verdadeiro mercado interno de consumidores que seria i mais poderoso do mundo .
    3- O euro é considerado um "poderoso fator de integração " por possibilitar uma união uma potência
    económica dotada de uma moeda capaz de rivalizar com o dólar norte americano no mercado mundial.
    4- 4-O "conflito Norte-Sul" a que se refere o (doc22C) traduz-se nas reformas desenhadas pela Alemanha , que todos os países em crise tiveram de dotar , como condições para receberem os resgates de biliões dos fundos europeus.
    Pg.34
    1-De acordo com o organigrama (doc.23b) o órgão que detém o poder executivo da União é o parlamento europeu.
    2- O aspeto comum as três democracias do sul que colocava reservas aos responsáveis da cee eram as dificuldades económicas , atravessam uma crise económica.
    3- As duas vantagens para Portugal da sua entrada da CEE foi que ofereceu a Portugal a saída do isolamento político e a restruturação da economia .
    4- A "outra eurpoa" destina-se ao lado Oriental da Europa que se encontrava sobre o domínio da URSS.´
    Pg. 37
    1- Os três aspetos em que a cidadania europeia concorra para o reforço o sentimento de pertença á União era : " É cidadão da União qualquer pessoa que tenha nacionalidade de um estado membro", "Qualquer cidadão da União goza do direito de circular e permanecer livremente no território dos Estados-membros "
    "Qualquer cidadão da união goza do direito de petição ao parlamento europeu, nos termos do disposto"
    2- A afirmação destina-se "A Europa é uma Europa de nações livres, independentes e soberanos, que escolheram unir-se para defender os seus interesses próprios e o interesse geral .
    3- A participação dos cidadãos nas eleições europeias é cada vez menor , apresenta um decréscimo.
    4- O Tratado e Lisboa procurou reforçar a participação dos cidadãos na comissão europeia.

    ResponderEliminar
  8. Página 31

    1. Três áreas nas quais, segundo J.Delors, poderia estreitar-se a União Europeia são: a moeda; a segurança e a defesa e o novo estatuto institucional sobre a realidade e as soberanias nacionais.
    2. O "mercado único" consiste: na convergência das políticas económicas; um grande espaço económico europeu; liberalização dos movimentos de capitais e um grande mercado sem fronteiras.
    3. O euro é considerado um "poderoso fator de integração" porque a União passou a ser uma potência económica dotada de uma moeda capz de fazer frente ao dólar no panorama mundial.
    4. O "conflito Norte-Sul" que se refere o jornal Der Spiegel remete às reformadas implementadas pela Alemanha. O que gerou um conflito de austeridade entre os países do norte e do sul.

    Página 34

    1. De acordo com o doc 23B, o órgão que detém o poder executivo da União é a Comissão Europeia.
    2. O aspeto comum às três democracias do Sul que colocava reservas aos responsáveis da CEE era que estas apresentavam o PIB per capita inferior ou igual a 75% da população.
    3.Duas vantagens para Portugal com a sua entrada na CEE foram: a saída do seu isolamento político e a regressão a uma das fontes de origem: a Europa.
    4. A expressão "outra Europa" significa o verdadeiro fim da Segunda Guerra Mundial e a unificação da Europa através do reencontro do Ocidente com o Oriente.

    Página 37

    1. Três aspetos em que a cidadania europeia concorria para reforçar o sentimento de pertença à UE são: o cidadão ser europeu antes de tudo; a livre circulação no espaço europeu e o direito ao voto para o representante(s) no Parlamento Europeu.
    2. A afirmação de Tony Blair remete para o facto da Europa não conseguir ser um super-estado devido aos vários problemas que enfrenta.
    3.A diferença dos tratados é que o Tratado de Lisboa procurou manter a individualidade e autonomia dos países europeus.

    Realizado por: Soraia Monteiro e Rúben Oliveira

    ResponderEliminar
  9. Sara Sousa e Rita Jesus

    Página 34
    1. De acordo com o organigrama, os órgãos que detêm o poder executivo da união europeia são: o Conselho Europeu e a Comissão Europeia, pois ambos são os que têm um maior peso de execução das leis.

    2. O aspeto comum ás três democracias do Sul - Espanha, Portugal e Grécia - que colocava reservas aos responsáveis da CEE é: as economias frágeis e o fraco desenvolvimento evidenciado em todos estes países.

    3. Duas vantagens para Portugal da sua entrada na CEE foram: a possibilidade de deixar para trás o seu estado de isolamento político, integrando-se numa "das suas fontes de origem: a Europa"; a reanimação da indústria, havendo o investimento necessário ao desenvolvimento destas, de forma a avançar para a frente com a economia do país.

    4. A expressão "outra Europa", encontrada no Doc. 25, refere-se aos países de Leste que, durante "meio século", estiveram escondidos atras de uma cortina de ferro, sob o domínio da URSS e sem poder sobre o seu próprio país.
    Assim, esta "outra Europa" eram os países que, apesar de se encontrarem no mesmo continente que o Ocidente, pareciam viver num mundo completamente diferente.

    Página 37
    4. Duas alterações introduzidas pelo Tratado de Lisboa que visam reforçar a coesão entre os europeus foram: a criação da função do "Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança", nomeado pelo Conselho Europeu e o Presidente da Comissão; o reforço da "tónica na solidariedade", de forma a que esta exista entre os Estados-membros.
    Com isto, procurou-se assegurar a coesão da ação externa da União e criar um espírito de entre-ajuda entre os países europeus.

    5. A principal diferença entre o Tratado Constitucional e o Tratado de Lisboa é a ideia de Constituição, sendo que no último Tratado não se fala nesta ideia.
    Desta forma, com o Tratado de Lisboa, cada país continua a ter a sua própria constituição, o que se traduz na própria autonomia também, sendo que os países não perdem a sua soberania.

    (A Rita enviará o resto)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (Peço desculpa pelo atraso, está aqui a minha parte)

      p.31

      1. As 3 áreas nas quais, segundo Delors, se poderia estreitar a união entre os europeus são, na segurança e na defesa, na moeda utilizada e no objetivo de um mercado único.

      2. O "Mercado Único", consiste num mercado interno sem fronteiras. com livre circulação de pessoas, bens e capitais dentro da comunidade.

      3. O euro é considerado um grande fator de integração, pois juntava as nações visto que, "enquanto a comunidade era apenas uma potência económica, a União é uma potência económica dotada de uma moeda capaz de rivalizar com o dólar norte-americano no mercado mundial.".

      4. O "Conflito Norte-Sul", baseia-se na adoção do euro pelos países da Europa, visto que, enquanto os países do Norte tinham uma economia mais estável e menos problemas, a Europa do sul, (ex: Grécia), tem graves problemas em termos de economia, inclusivé crises económicas, o que fez com que a crise do euro voltasse ao seu ponto de partida geográfico.

      p.37

      1. os 3 aspetos em que a cidadania europeia concorre para reforçar o sentimento de pertença à UE são, qualquer cidadão gozar do direito de proteção por parte das autoridades diplomáticas e consulares de qualquer estado membro, qualquer cidadão gozar do direito de petição do parlamento europeu, e qualquer cidadão gozar do direito de circular e permanecer livremente no território dos estados membros.

      2. A afirmação de Tony Blair justifica-se com a força económica e a política da Europa, e visto que esta sofre de um défice democrático.

      Eliminar
  10. Pag.32
    1.Três áreas nas quais J.Delars diz que se poderia estreitar a união entre os países europeus são a segurança e a defesa, a moeda e a liberalização de movimentos de capitais.
    2.O mercado único consiste na livre circulação de pessoas, de bens e de capitais dentro da comunidade, realizando assim um verdadeiro espaço económico sem fronteiras, um verdadeiro mercado interno de 320 milhões de consumidores.
    3.O euro é um poderoso fator de integração porque primeiro seria uma moeda única a que todos os países iriam aderir, tendo em conta isto a grande maioria da união europeia utiliza o euro o que torna os países europeus parte de uma comunidade, o Euro seria assim capaz de rivalizar com o dólar norte-americano no mercado mundial.
    4.O conflito “norte-sul “ que se refere o jornal Des Spiegel foca-se nas distintas economias dos países do sul da Europa em relação aos países do norte da Europa, enquanto no Norte as economias, são claramente mais fortes no sul, os países em crise foram obrigados a aceitar planos de resgate e a aceitar reformas para receberem dinheiro dos fundos europeus, saírem das suas crises.

    Pag. 34
    1.O órgão que detém o poder executivo da união europeia é o parlamento Europeu

    2. A crise de 1977 começava-se a sentir em pleno, um fator que colocava reservas era a pobreza e a necessidade de ajudar estes países a elevar-se a um nível mais próximo dos países membros da CEE, por fim a insuficiência da administração da Grécia e a tentação de tomar algumas liberdades nas regras comunitárias eram outra reserva.

    3.Duas vantagens da entrada de Portugal na CEE foram- A oportunidade que esta deu a Portugal de sair definitivamente do seu isolamento politico abrindo-lhe um futuro e a possibilidade de melhorar a economia do país, outra vantagem seria a reanimação da industria e sobretudo, aos investimentos necessários por parte das grandes empresas.

    4.A expressão “outra Europa” baseia-se nos países que tinham entrado em 2004 e, que anteriormente faziam parte da Europa do Leste e dos países que faziam parte da cortina de ferro da U.R.S.S, países que foram menos desenvolvidos e se juntavam agora aos países da restante Europa através do seu esforço.

    Pag.37
    1.Três aspetos onde a cidadania europeia procura melhorar o sentimento de pertença a comunidade são: " A ideia de que antes de tudo o cidadão é em primeiro lugar Europeu; a livre circulação no espaço europeu, e o direito de votar nos representantes para o parlamento Europeu (deixando as pessoas escolher quem as deve representar).
    2.A Europa nunca poderá ser um “super Estado” pois é uma comunidade que nunca iria se reger pelas mesmas regras igualitárias para todos os países, outro fator para impossibilidade deste super estado é o facto de muitos países não quererem renunciar a sua própria identidade como país autónomo, deixando assim de parte a ideia de Churchill dos estados unidos da Europa.
    3.Desde 1960, que a participação dos cidadãos nas eleições europeias tem decrescido de forma gradual tendo em 1999 descido abaixo dos 50% alcançando em 2014 um número abaixo dos 50%, sendo o valor mais baixo de sempre (43%).
    4.O tratado de Lisboa procurou recuperar diversas propostas anteriores, dando mais direito de participação aos cidadãos deixando-lhes intervirem de uma forma direta junto da própria comissão europeia.

    Realizado por: Andreia Bernardo e Nelson

    ResponderEliminar
  11. Proposta de correção dos exercícios:

    Pág. 31
    Questão 1
    • Escolher três
    – o estreitamento dos laços políticos entre os países membros (novo estatuto sobre as soberanias nacionais);
    – a segurança interna e a defesa;
    – a política monetária (moeda única);
    – a constituição de um espaço económico unificado.
    Questão 2
    • Espaço económico unificado em que as mercadorias, os capitais e as pessoas circulam livremente. (O mercado único obriga a uma uniformização alfandegária de todos os países relativamente às importações e exportações do exterior).
    Questão 3
    • A cunhagem de moeda própria foi sempre um emblema de individualidade e soberania, pelo que abdicar desse poder, transferindo-o para uma instituição supranacional, constitui um avanço na união dos países da Europa.
    • Uma moeda comum facilita a circulação dos cidadãos e o funcionamento do mercado comum.
    Questão 4
    • Refere-se à clivagem, cada vez mais acentuada, entre as economias mais sólidas da Europa, de que a Alemanha é o melhor exemplo, e os países economicamente mais frágeis do Sul, como é o caso da Grécia ou de Portugal. A braços com uma grave crise nas finanças do Estado, os países do Sul foram obrigados a aceitar as duras políticas orçamentais impostas pelos seus parceiros europeus, nomeadamente pela Alemanha.

    Pág. 34
    Questão 1
    • A Comissão Europeia.
    Questão 2
    • Os três países punham “obstáculos económicos” à Comunidade Europeia, já que se encontravam num nível de desenvolvimento muito abaixo do dos países que integravam a CEE.
    Questão 3
    • A integração na Europa, pondo fim ao isolamento político a que o país estivera votado na última década do regime salazarista.
    • A obtenção dos apoios financeiros necessários ao desenvolvimento industrial.
    • O apoio à reestruturação económica, especialmente no setor agrícola.
    Questão 4
    • Refere-se aos países da Europa de Leste, outrora de regime socialista e separados da União Europeia pela “cortina de ferro”.

    Pág. 37
    Questão 1
    • Escolher três
    – o estabelecimento de um conjunto de direitos comuns a todas as nacionalidades da União;
    – o direito dos cidadãos elegerem e serem eleitos para os órgãos municipais e o Parlamento Europeu, na área de residência, mesmo que esta se situe fora do seu país;
    – a possibilidade do cidadão recorrer, em países terceiros, à proteção de um qualquer país da Comunidade, através da sua embaixada, caso o seu país de origem não disponha de representação diplomática;
    – o direito de intervir nos mesmos órgãos de governo supranacionais;
    – o direito de recorrer às mesmas instâncias de justiça supranacionais.
    Questão 2
    • A afirmação enfatiza o poderio que resulta do somatório dos países que constituem a UE, mas rejeita a possibilidade da fusão dos vários estados nacionais num Estado federal único.
    Questão 3
    • Exceção feita à eleição de 2014, o número de votantes para o Parlamento Europeu tem diminuído de forma progressiva, o que mostra o desinteresse dos cidadãos da União relativamente às suas instituições comuns.
    Questão 4
    • Escolher duas
    – a possibilidade de cidadãos de diferentes nacionalidades se unirem para instarem a Comissão Europeia a apresentar propostas de alteração dos Tratados da União;
    – o prolongamento do mandato do Presidente do Conselho Europeu por dois anos, renováveis, a fim de dar um “rosto” à União (em vez do período de seis meses, rotativo, estabelecido nos tratados anteriores);
    – a instituição de um Alto-Representante para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança, visando dar coesão à política externa dos diferentes países.
    Questão 5
    • A carga simbólica que existe numa “constituição”, por ser esta o elemento basilar de um Estado. O facto de a Europa Unida passar a dispor da sua própria constituição reforçaria, segundo o autor do texto, o sentimento de pertença a um mesmo povo (demos).

    ResponderEliminar
  12. Trabalho da Daniela e do João F enviado por mail:
    Página 31
    1. As três áreas que, segundo J. Delors, poderia estreitar-se a União Europeia seria na segurança e defesa, moeda e na constituição de um grande espaço económico europeu.
    2. O conceito "mercado único" consiste num espaço económico sem fronteiras, onde é possível a livre circulação de pessoas, bens e capitais dentro da comunidade.
    3. O euro é considerado um poderoso fator de integração pois os países abdicaram do maior símbolo de soberania e adotam o euro, em função do ideal da Europa Unida. O euro dá à Europa uma moeda forte capaz de competir com o dólar e permite à Europa tornar-se a maior potência do mundo.
    4. O "conflito Norte-Sul" referido no jornal Der Spiegel refere-se às crises de grandes proporções sentidas pelos países do sul e à austeridade e reformas impostas, que estes tiveram que adotar para receberem os resgastes europeus.

    Página 34 do Manual
    1. De acordo com o organigrama o órgão que detém o poder executivo na União Europeia, é o Parlamento Europeu.
    2. O aspeto comum às três democracias do Sul que colocavam reservas aos responsáveis da CEE era que estes países se encontravam bastante atrasados relativamente aos restantes membros.
    3. Duas vantagens para Portugal com a sua entrada na CEE foram a superação dos problemas de política interna e o facto da CEE oferecer a Portugal a oportunidade de sair do isolamento político.
    4. A expressão "outra Europa" refere-se aos países de Leste que tinham estado por detrás da Cortina de Ferro.

    Página 37 do Manual
    1. Três aspetos em que a cidadania europeia concorra para reforçar o sentimento de pertença à UE são a instituição da cidadania da UE, ou seja, qualquer cidadão que tenha nacionalidade de um Estado-membro é então cidadão da UE. Outro aspeto é o facto de qualquer cidadão da União ter o direito de circular e permanecer livremente no território de Estados-membros, e por fim, qualquer cidadão da União Europeia que resida num estado-membro que não seja o da sua nacionalidade, tem direito de eleger e de ser eleito nas eleições municipais do Estado residente, nas mesmas condições dos que são naturais desse país.
    2. A afirmação de Tony Blair, "a Europa pode ser uma superpotência, mas nunca um super-Estado", afirma que a Europa é de facto uma superpotência mas destaca sobretudo as dificuldades da união política uma vez que esta abrange vários países torna-se difícil conjugar os interesses de cada nação, nunca podendo ser considerados um super-Estado.
    3. O número de votantes nas eleições de 1960 estava em 62% e desde então o número de votantes tinha vindo a diminuir atingindo os 56,6% de votantes em 1994. Na votação seguinte (1999) atinge-se a maior queda do número de votantes, cerca de menos 7%, chegando apenas aos 49,5. Em 2014 a percentagem de votantes foram apenas 43%.
    Esta diminuição do número de votantes a cada eleição que passa demonstra que o espírito de descrença vivido pelo cidadão comum.
    4. As duas alterações introduzidas pelo Tratado de Lisboa que visam reforçar a coesão entre os Europeus são a nomeação do Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança e também o facto de um número significativo de nacionais de Estados-membros, poder tar a iniciativa de convidar a Comissão Europeia, no âmbito das suas atribuições, podendo apresentar propostas adequadas sobre matérias sobre as quais esses cidadãos consideram necessário um ato jurídico da UE para aplicar os Tratados.
    5. A principal diferença entre o Tratado de Lisboa e o Tratado Constitucional, é a existência de um simbolismo na Constituição que permitia servir de momento constitucional para uma coletividade europeia vincada e autónoma identidade, algo que acaba por ser rejeitado no Tratado de Lisboa.

    ResponderEliminar
  13. O trabalho da Sandra chegou hoje por mail:

    Página 31

    1) Três áreas nas quais, segundo J. Delors, poderia estreitar-se a união entre os Europeus são a segurança e a defesa; a moeda; a constituição de um grande espaço económico europeu.

    2) “O mercado único” consiste num grande mercado sem fronteiras sem obstáculos à livre circulação de pessoas, de bens e de capitais dentro da comunidade europeia.

    3) O euro é considerado um “poderoso fator de integração” porque é capaz de rivalizar com o dólar norte-americano no mercado mundial.

    4) O "conflito Norte-Sul", referido no jornal Der Spiegel, refere-se às crises de grandes proporções sentidas pelos países mais endividados (Grécia, Chipre, Irlanda Portugal) e à austeridade e reformas impostas que estes tiveram de adotar para receberem planos de resgate europeus.

    Página 34

    1) De acordo com o organograma, o órgão que detém o poder executivo da União é a Comissão Europeia.

    2) O aspeto comum às três democracias do Sul que colocava reservas aos responsáveis da CEE, era o atraso na economia relativamente aos restantes membros.

    3) A entrada de Portugal para a CEE permitiu-lhe sair do isolamento internacional e ter apoios financeiros.

    4) A expressão “outra Europa” diz respeito aos países que pertenciam à Europa do Leste e ao bloco soviético.

    Página 37

    1) Três aspetos em que a cidadania europeia concorre para reforçar o sentimento de pertença à União são: a livre circulação e permanência nos Estados-membros; a possibilidade de um cidadão eleger e ser eleito para o Parlamento Europeu no Estado-membro que não seja o da sua nacionalidade; a igual proteção por parte das autoridades diplomatas em qualquer Estado-membro a qualquer cidadão.

    4) Duas alterações introduzidas pelo Tratado de Lisboa que visem reforçar a coesão entre os Europeus são a possibilidade de cidadãos de vários Estados-membros poderem apresentar propostas sobre alterações dos Tratados da União à Comissão Europeia; a nomeação do Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e Política de Segurança.

    5) A principal diferença entre o Tratado Constitucional e o Tratado de Lisboa, é a existência de um simbolismo na Constituição que permitia servir de momento constitucional para uma coletividade europeia com uma vincada e autónoma identidade, algo que não foi possível com o Tratado de Lisboa.

    ResponderEliminar