segunda-feira, 5 de outubro de 2015

FICHA DE TRABALHO

Aqui podem publicar até 5ª feira as respostas da ficha de trabalho realizada na aula.

28 comentários:

  1. Ficha de trabalho realizada por : Ana Valente e Décia Daio
    1. O palácio de Versalhes não era grande o suficiente para acolher toda a nobreza, porém era de grande dimensão, a ponto de habitar seis mil e setecentas pessoas que viviam ás custas do Rei. A cortesão que se alojava no palácio vivia nesse local uma vida luxuosa, de acordo com as necessidade, que lhes dava imensas benesses.
    2. Luís XIV refletia na aparência o cargo que lhe era dado. Sendo Rei deveria estar apresentável para que todos os reconhecessem como tal.
    3. Os cortesãos idolatravam o Rei, manifestando admiração e prazer ao contempla-lo.
    4. O Rei era admirado por todos, ao que era uma honra, estar presente nas mais simples situações. Já os Nobres esforçavam-se para que o Rei os notasse e honravam-se ao servi-lo, mostrando submissão.
    5. Vestir a Rainha era visto como um ritual, atribuía ás damas da corte a sua importância que lhes devia ser dada visto que funcionava por hierarquia.
    6. As peças de roupa eram aquilo que evidenciava mais luxo, visto que nelas estava presente o ouro, símbolo da luxuria.
    Era dada também muita importância aos chapéus que, sem dúvida, seria p que dava mais nas vistas devido aos seus diversos modelos chamativos.
    7. Os cortesãos davam imenso valor ao seu aspeto, utilizando peças de vestuário que os prejudicavam a evidenciar o seu estatuto e acessórios que os fariam chamar atenção.
    8. O palácio de Versalhes acolhia os cortesãos, permitindo a estes estarem mais presentes no quotidiano do rei, o que era visto como um benefício, visto que reste o idolatravam e admiravam e fazia os possíveis para que lhes desse o benefício de acompanharem.
    Estas atividades ajudavam também a definir a hierarquia, os cortesãos estavam organizados segundo a sua importância.
    Faziam a questão de amostrar também para os de fora, na forma como agiam ou como se vestiam.
    Apresentam-se de forma a evidenciar o seu estatuto e importância, nos seus vestidos, acessórios e na forma como agiam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respostas corretas na essência mas cuidado com a expressão escrita que pode alterar o sentido daquilo que se pensa e se quer escrever.

      Eliminar
  2. MARTA e ANDREIA
    1- No Doc.A está descrita a exuberância e grandeza do Palácio de Versalhes, mostrando que o mesmo acolhia toda a nobreza francesa, fazendo um total de seis mil e setecentas pessoas alojadas às custas do rei. Viviam no palácio, para além de toda a nobreza, cortesão que fabricavam as mais extravagantes roupas para as damas usarem e se mantinham sempre em cima de todos os acontecimentos para, mais tarde, informarem o rei. Os criados eram indispensáveis ao funcionamento do palácio.
    2- Luís XIV refletia na aparência o cargo que lhe fora dado, pois sendo ele o rei, devia estar sempre apresentável para que todos reconhecessem o seu título e superioridade.
    3-Luís XIV provocava nos cortesãos idolatração e satisfação extrema, quando estes tinham o privilégio de o servir.
    4- Acima de tudo e de todos, estava o rei, depois deste, vinham os homens de grande prestígio, como os médicos, encontrava-se, depois, a família real, seguindo-se os altos funcionários e nobres e só depois é que vinham os outros membros importantes da corte, estando os criados no último patamar desta hierarquia.
    5- As damas da corte consideravam que vestir a rainha fazia parte dos seus direitos pois considerava-se que a toilette da rainha era uma obra-prima de etiqueta, à qual todas as damas deviam prestar imensa atenção.
    6- O pormenor que evidenciava maior luxo era o uso excessivo do ouro nos vestidos das damas. O pormenor mais extravagante era a altura imensa dos penteados femininos da época.
    7- O uso do ouro em grandes quantidades no vestuário e a extravagância das perucas como forma de exibir a sua riqueza eram duas evidências da importância que os cortesãos atribuiam ao seu aspeto.
    8- O rei abrangia no seu palácio toda a Nobreza a fim de a poder controlar, ocupando-a para que esta não interferisse com o poder absoluto do rei, controlando cada passo que cada um dava, reconhecendo assim aqueles que estavam do seu lado e aqueles que conspiravam nas suas costas.
    A superioridade do rei era reconhecida por toda a gente e cada um reconhecia o poder que exercia, não tentando assim ocupar um cargo superior ao seu, limitando-se a permanecer no lugar que lhe pertencia na 'pirâmide do poder'.
    A nobreza endividava-se para andar com as melhores roupas e com as perucas mais extravagantes da época, aderindo a todas as modas que eram lançadas, por mais ridiculas que estas fossem, para mostrar a sua riqueza e superioridade perante os outros nobres, andando sempre sobre um clima de competitividade e rivalidade uns com os outros.

    ResponderEliminar
  3. InêsSilva e Raquel Santos7 de outubro de 2015 às 18:56

    1- No palácio propriamente dito vivem 4 mil pessoas, diante estas pessoas todas está o cortesão e alguns dos criados que lá se apresentavam todas as manhãs.

    ResponderEliminar
  4. 1.O Palácio de Versalhes era tão extenso que acolhia mais de seis mil e setecentas pessoas nomeadamente os criados e corteses vivam as custas do rei. Neste espaço decorria uma vida de grande luxo e riqueza.

    2.A Etiqueta para Luís XIV era uma espécie de dominação e controle social, de maneira a satisfazer as suas necessidades e ainda caprichos existências, concentrando todo poder em sua pessoa.

    3. O Rei Luís XIV provocava aos cortesãos um grande sentimento de prazer supremo e ainda de submissão pois eram um grande honra estar no presença do Rei Luís XIV.

    4. Existia um grupo de pessoas que participava na vida da corte, rodeando o rei, seguindo regras hierárquicas e etiquetas exigidas, como por exemplo no Doc.D no pequeno levantar onde entrava um criado no quarto para avisar ao rei que esta na hora de levantar, adiante entram cirugioes para examinar o rei seguidos de membros de família real e príncipes de sangue tudo para uma breve cerimonia religiosa , já a Rainha , as damas de honor faziam tudo por elas.

    5.Estas damas de honor consideravam que vestir a rainha fazia parte dos seus direitos pois, a toillete da rainha era uma obra-prima de etiqueta, que se realizava segundo um ritual predeterminado


    6. A Madame de Montespan elaborou um vestido de ouro, bordado de ouro, debruado a ouro e por baixo, ouro frisado, recamado de ouro , o que torna esta peca de um ilustre luxo(atendendo ao Doc .F). A extravagancia das plumas, toucados e outros adereços atingiu o auge no reinado do Rei Luís XIV, bem como assim a altura imensa dos penteados femininos, que se elevam através de chumacos e armações , sendo assim uma extravagancia imensa.

    7.As Perucas com grandes elevações e o vestido todo bordado de ouro, são 2 das evidencias que mostra que os cortesãos que se importavam com o seu aspecto



    8. A vida da corte no Palácio de Versalhes, decorria ao mais alto nível de luxuria, o rei era visto pelos seus cortesãos e criado como um autentico Deus na Terra, estar na presença do Rei era um autentica honra, estes descreviam como um prazer supremo. Estes ainda tinham que seguir normas muito rígidas segundo um regime hierarquizo, como o exemplo o grande levantar do rei, onde ilustras pessoas como membros da família real viam o rei a vestir-se e entre outras atividades. O Palácio de Versalhes e inteiramente luxuoso, que habita mais seis mil e setecentas pessoas onde possui obras de arte, detalhadas em ouro (Galeria do Espelhos) e ainda possui inúmeras fontes.

    Trabalho de Adilson Santana e Marcelo Assis

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai a expressão escrita... cheia de imprecisões tenebrosas...!

      Eliminar
  5. Olá professora! Aqui está o meu trabalho :)

    1. Uma informação relevante sobre o palácio é o facto deste, apesar de conseguir alojar seis mil e setecentas a expensas do rei, se encontrar em crise de alojamento permanente. A vida no palácio desenrolava-se á volta do rei, as pessoas queriam tecer influências e conseguir estar nos locais certos ás horas certas.

    2. Para Luis XIV, a etiqueta tinha como função dar as aparências fundamentais de riqueza e substância àqueles que estão de fora. Era importante para o rei não ser confundido com outros, portanto nenhum se podia parecer com este, e vestia-se de uma forma grandiosa que era alvo de respeito e admiração por parte dos outros.

    3. Por parte dos cortesãos havia
    uma grande necessidade de estar perto do rei. Para eles, o rei era quem lhes dava a felicidade é estar longe dele era pior do que se ser infeliz. Era transmitido pelos cortesãos um grande respeito pelo rei, sendo este idolatrado por todos como se fosse um deus.

    4. As hierarquias no quotidiano são evidenciadas a partir do tratamento dado pelo rei. Seriam os mais importantes da nobreza aqueles que eram convidados a assistir ao levantar do rei (e da rainha), ao almoço e ao jantar, e até a ir consigo ás caçadas e a dar um passeio. Era uma grande honra para os nobres serem convidados para estes acontecimentos.

    5. Quando a rainha era vestida, as damas da corte achavam que tinham o direito de ser elas a fazê-lo. Desta forma, a dama que se encontrasse na sal com maior importância, seria a que iria vestir a camisa á rainha. Concluindo, a camisa ia passando de mão em mão, mas a dama a vestir a rainha seria a com o estatuto mais elevado na hierarquia.

    ResponderEliminar
  6. (continuação)

    6. • Para os nobres era importante demonstrarem a sua riqueza e luxo. Demonstravam-no então através da sua aparência e vestuário, era importante ter um vestido ou roupa exagerado em cores e pormenores que chamassem a atenção, sendo que ninguém se podia mostrar mais luxuoso que o rei.
    • Para mim o mais extravagante seriam as moscas, eram algo que chamava logo a atenção de alguém, não sendo obrigatoriamente pela positiva. O uso de sinais artificiais era exagerado e ridículo na minha opinião.

    7. O aspeto para os cortesãos era das coisas mais importantes a manter, pois era a partir dele que demonstravam a sua grandeza e importância. Duas evidências disto eram as cabeleiras e os chapéus usados na altura. No que tocava a usar cabeleiras, era algo bastante caro e quanto maior fosse, mais dinheiro era gasto. Portanto quanto maior era a cabeleira de alguém, mais evidenciada era a sua riqueza. O mesmo acontecia com os chapéus, quanto maiores, mais complexos e endereçados, maior o luxo dos cortesãos.

    8. O palácio de Versalhes era um grande palácio capaz de alojar seis mil e setecentas pessoas, a vida da nobreza era toda feita lá por ser onde o rei se encontrava. A vida da corte girava toda á volta do rei, sendo que todos tentavam passar o máximo de tempo possível ao seu lado, mas apenas os mais importantes, ou seja, os com o estatuto mais elevado na hierarquia da nobreza, eram convidados a comparecer em algumas situações do quotidiano do rei como o levantar, o vestir, o almoço, e jantar ou até mesmo a ir a uma caçada ou passeio com ele; para os nobres era uma honra ser convidado a participar nestas "cerimónias".
    Era algo importante ser respeitado e ter uma aparência deslumbrante aos olhos dos outros, portanto o aspeto era algo importante tanto para cada um deles, como também para o rei, pois era a partir disso que se transmitiam as aparências fundamentais para os que estavam de fora.
    Para manter uma postura de luxo e riqueza, era necessário saber vestir e usar os acessórios certos. Tanto as mulheres como os homens usavam roupas com cores exuberantes, exageradas e com adereços tais que emanassem o grande luxo da pessoas que as vestia. Era moda usar as cabeleiras, pois estas eram caras e símbolo de riqueza, quanto maior eram, maior era o seu preço e mais rico o senhor ou senhora que a usava; também com grande contraste na aparência havia os chapéus, que tinham de ser grandes, altos e cheios de adereços. Para os homens era essencial os sapatos de tacão alto, não só por uma questão de moda, mas também porque dava jeito para andar pelas ruas enlameadas de Paris. Estes tinham adereços e enormes laços muitas vezes bordados com ouro e diamantes. Por fim, algo usado tanto por mulheres como por homens, as moscas. Estás serviam para esconder as imperfeições da pele e fazê-la parecer mais branca. Consistiam em sinais artificiais colocados no rosto, testa, queixo e peito, que muitas vezes eram usados de uma forma exagerada que chegava a ser ridícula.


    Ana Sara Sousa

    ResponderEliminar
  7. HISTÓRIA
    Trabalho de aula pág.41 a 44 RUBEN OLIVER E NELSON GUERRA 11H2
    Pág.44
    1) Uma informação essencial, é que Versalhes não foi construido para acolher toda a nobreza Francesa, e quanto ao desenrole da sua vida durante o reinado de Luis XIV, 4 mil pessoas viviam no pálacio e 2700 habitavam nas dependências.

    2) Para Luis XIV a etiqueta era algo de grande importância, pois elas sabem que as aparências demonstravam o poder de um homem e sendo ele o homem mais poderoso do reino tinha que demonstrar através de ele mesmo o seu poder e o poder de França.

    3) Dois dos sentimentos que o rei Luis XIV provocava nos cortesões eram: admiração, devido ao respeito que todo o reino tinha ao ter um rei tao poderoso, e um sentimento de submissão, pois acreditava-se em tudo o que o rei dizia, pois ele era um homem escolhido por Deus

    4) As hierarquias eram evidenciadas no quotidiano a partir do momento em que o rei e a rainha acordavam a partir dai eram ajudados pelos nobres, e eram com o rei que os nobres queriam estar, pois dsejavam estar na sua presença real.

    5) As damas de honor consideravam vestir a rainha como um dos seus direitos, pois elas sbiam que servir a mulher que passava os seus dias com o rei er algo de verdadeiro privilégio.

    6) O promenor que evidenciava melhor luxo era os vestidos das madames enquanto os promenores mais extravagantes eram o chapéu e os penteados que os nobres utilizavam demonstravam a sua grandeza

    7) A importência que os cortesões davam ao aspeto está nos DOC. G e DOC. H. No DOC. G o texto diz-nos que as cabeleiras viraram moda no reino quando os nobres os começavam a utilizar para imitar o rei e imitar o seu estilo. No DOC. H o texto diz-nos que os homens e as mulheres tentavam esconder as imperfeições da sua pele salpicando o seu rosto tentando assim manter a classe que o seu elevado estatuto social dizia que deviam manter.

    8) A vida no Palácio de Versalhes era uma de enorme glamour o rei e a sua mulher tinham várias criadas que sustentavam as necessidades reais. O rei, a entidade suprema, era observado por todo o palácio, por todos os nobres, que se sentiam honrados por poder observar a supremacia real e por vezes passar tempo com a mesma, esta tambem tinha ao seu serviço varias criadas para satisfazerem suas necessidades e o bem estar do palâcio. O Palácio de Versalhes foi um palácio que foi mandado construir pelo rei Luis XIV e França fazendo assim representar a riqueza de França pelo mundo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cuidado com as imprecisões linguísticas e a ortografia.

      Eliminar
  8. Resolução da análise de documentos da página 44 do manual:

    1. A informação relevante, presente no Doc. A, sobre o palácio de Versalhes refere-se ao facto de o palácio ter sido construído para acolher parte da nobreza francesa (os nobres mais importantes). Durante o reinado de Luís XIV habitavam, ás custas do deste mesmo, cerca de seis mil e setecentas pessoas e a vida que se desenrolava neste palácio era uma vida luxuosa e requintada para os membros da nobreza.

    2. A função atribuída por Luís XIV á etiqueta foi a superioridade, do mesmo, a tudo. Ninguém podia confundir-se ou comparar-se com o rei pois ele era absoluto, ele mandava em tudo e por isso o seu aspecto tinha que ser poderoso e real.

    3. Os dois sentimentos provocados por Luís XIV nos cortesãos eram: honra por estarem tão perto de um rei tão absoluto e gratidão por o rei os ter escolhido para acompanhar a sua vida no palácio.

    4. As hierarquias no palácio de Versalhes, evidenciam-se pela posição dos nobres. Quanto mais perto um nobre estava do rei e da rainha, mais perto ele estava do topo da hierarquia . Como refere os Docs. referidos, o rei e a rainha eram visitados, nos seus aposentos, pelos nobres de acordo com a sua importância hierarquia.

    5. As damas de corte consideravam que vestir a rainha fazia parte "dos seus direitos", pois estas achavam que, por serem as que se encontravam mais próximas da rainha e por possuírem uma hierarquia mais importante, tinham o direito de adquirir os melhores trajes para apresentar a rainha da melhor maneira possível.

    6. O pormenor que evidência maior luxo nos Docs. F a I, na minha opinião, são as perucas, pois davam um ar importante e luxuoso a quem as usava por causa do volume e do aspecto bonito que davam. O pormenor que considero mais extravagante são os chapéus, pois os nobres utilizavam-no de uma maneira muito vistosa e muito requintada.

    7. As duas evidências da importância que os cortesãos atribuíam ao seu aspecto eram, a elegância e a postura que estes desempenhavam na corte. Os cortesão possuíam o mais caros e luxuosos trajes da época, dando-os um ar fino, rebuscado e superior.

    8. A vida de corte no palácio de Versalhes desempenhava-se, tendo em conta:
    - a relação entre os cortesãos e o rei, que era uma relação de a proximidade. Aqueles que estavam mais próximos do rei, eram aqueles que o rei considerava mais importante para ele próprio, eram aqueles que satisfaziam os seus desejos de perto e o acompanhavam para passeios, festas, jantares, etc...
    - o respeito pelas hierarquias, que era um facto muito importante pois, aqueles que estavam no topo da hierarquia eram muito mais respeitados do que aqueles que se encontravam mais a baixo. Quanto mais alto se encontravam na hierarquia, cargos mais importantes essas pessoas desempenhavam no palácio.
    - os sinais exteriores de riqueza, que eram muito relevantes no palácio de Versalhes. Os cortesãos e o rei davam muito valor ao seu aspecto e faziam de tudo para parecerem muito requintados e luxuosos, adquirindo sempre a última moda que se desenrolava na época. Eram inconfundíveis por causa dos seus trajes, a maneira como se apresentavam em público e a maneira como conviviam uns com os outros.

    ResponderEliminar
  9. Ficha de Trabalho dos números 14 e 20 da turma 11ºH2. Kátia e Raquel.

    1. Segundo o documento A, o palácio de Versalhes sustentava o rei e a nobreza de Paris, o que levava a que aproximadamente quatro mil vivessem em Versalhes, dois mil e setecentos nas dependências, e seis mil e setecentos dependentes das custas do rei.
    A família do rei e os seus criados viviam em Paris, onde estes segundos se apresentavam no palácio todas as manhãs.

    2. Luís XIV atribuía à etiqueta uma função de superioridade. Permitia ao Terceiro Estado, que não se enquadrava na alta sociedade, a distinguir a muito elevada extraordinariedade, e a não igualar tal pessoa com alguém mais inferior. Permitia também a que eles respeitassem e vergassem perante eles. Que se curvassem sobre tal poder e elegância. Quem comanda através da etiqueta, desemprenha uma função distinta em relação aos outros.
    3. A partir do Documento C podemos observar diversos sentimentos nos cortesãos. Entre eles: “prazer supremo”, “paixão”, “infelicidade” e “ridicularizado”.
    4. As hierarquias no quotidiano de Versalhes, eram bastante evidentes. Tal como se pode observar no Documento D, com o acordar do rei: “Entram, depois, os membros da família real, seguidos dos príncipes de sangue “...” altos dignitários da corte numa sequência rígida”, ou seja havia de certa forma uma sequência de entradas segundo a importância de cada um. O mesmo precesso acontecia com a rainha, como se pode observar no Documento E.
    5. O levantar da rainha, era de certa maneira um grande acontecimento. A quem cabia a tarefa de vestir a mesma, considerava-o uma grande honra. Mas este processo era “esperado”, por todas as damas de honor e princesas, pois se alguém com um maior poder chegar, a tarefa de vestir a rainha, passava por direito a próxima Madame.
    6. O pormenor que evidência mais o luxo, são provavelmente os sapatos do Documento G que chegam a ser, alguns, bordados a diamantes e ouro de maneira a requintar a barriga da perna dos homens; ou o vestido de Madame de Montespan do Documento F; ou mesmo a mosca do Documento H, pela simples razão de serem constítuidos por ouro, que evidência a riqueza e poder, o que por sua vez, seria mais luxuoso que as perucas. Todavia, a mais extravagante é sem dúvida os chapéus e penteados do documento I, pela sua grandeza e vistosidade. Não é algo que escape facilmente à vista.
    7. Os cortesãos atribuíam uma grande importância ao seu aspeto pois para além de quererem deixar claro para todos o seu nível na sociedade, ainda queriam desesperadamente chamar a atenção do rei, para conseguirem cair nas suas boas graças.
    Uma das evidências eram as moscas bordadas a ouro, que embora tivesse sido uma moda ridícula e sem graça, foi bastante popular naquela época.
    A outra evidência, para além das perucas masculinas, eram provavelmente os chapéus e penteados que quanto mais vistosos, mais distintos e destacados seriam.
    8. O palácio de Versalhes conseguia acolher o rei e a sua nobreza, dos quais, quatro mil viviam no palácio, dois mil nas dependências, e seis mil às custas do rei. A nobreza idolatrava o rei de tal maneira, que contemplar o seu “Lever du roi” era uma enorme honra.
    O Terceiro Estado, ainda que o mais desprezado pelo resto das sociedades, tentavam ao máximo não deixar os seus filhos e precisamente os seus netos viverem como burgueses no decorrer das suas vidas. O que implicava a que, quando um nobre caísse na pobreza, casava o seu filho com a filha de um burguês rico, para que o segundo pagasse as suas dívidas em troca do título de nobre para a sua filha e para as suas gerações seguintes.
    A etiqueta ajudava ao povo, que não tinha o prazer de casar a sua filha com um nobre, saberem da superioridade que emanava das classes altas, levando-os a respeitar indiscutivelmente as hierarquias. Apesar de as classes mais elevadas, não os respeitarem de maneira nenhuma.
    As roupas, as perucas, as moscas e as etiquetas eram apenas sinais de dinheiro e do título que eles possuíam.

    ResponderEliminar
  10. 1.O Palácio de Versalhes era tão extenso que acolhia mais de seis mil e setecentas pessoas, a corte que vivia neste local tinha uma vida luxouosa e cheia de beneficios.
    2.Para Luís XIV a etiqueta não era apenas uma questão de cerimonia pois era pela etiqueta que os povos julgam pelo o que veem e assim Luis XIV refletia o seu cargo estando apresentavel de um modo incomparavel.
    3. O Rei Luís XIV provocava aos cortesãos um grande sentimento de admiração e prazer pois a maior honra que podia haver era estar na presença do rei.
    5.Estas damas de honor consideravam que vestir a rainha fazia parte dos seus direitos pois, a toillete da rainha era uma obra-prima de etiqueta realizava-se como um ritual predeterminado e cada uma das damas presentes observava esse ritual de uma forma minusiosamente.
    6. O pormenor que demonstra maior luxo é o vestido da Madame de Montespan que foi feito por Claude de Langlee(estilista da corte) o vestido era de ouro, bordado de ouro, debruado a ouro e por baixo, ouro frisado, recamado de ouro. O poremenor que demostra maior extravagancia são os penteados que eram uma construção de fitas,fioas de arame e eram muito altos.
    7.As duas evidencias que me mostravam a preocupação dos nobres com a aparencia são os penteados e os trajes.
    8. A vida no Palácio de Versalhes era cheia de luxo,extravagancia,brilho,ostentação e de protocolo rigido das etiquetas.Versalhes era o derradeiro exemplode poder e grandiosidade na Europa pois continha obras de arte,a Galeria de Espelhos e ainda possuia inúmeras fontes,jardins e salões.Luís XIVera visto pelos seus cortesãos como um Deus estar na sua presença era a maior das bençaos,alguns destes nobres afirmavam que a vida não vale a pena ser vivida longe do rei. Estes viviam segundo regras muito rígidas por um regime hierarquico.
    Trabalho Realizado por: Angelo Semedo, Bernardo Guerra 11H2

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cuidado com o processamento de texto.
      Algumas questões podiam ser mais explicitadas.

      Eliminar
  11. Inês Silva e Raquel Santos8 de outubro de 2015 às 10:58

    1- No palácio propriamente dito, vivem 4 mil pessoas, diante estas pessoas todas está o cortesão e alguns dos criados, que lá se apresentavam todas as manhãs.
    2- Luís XIV atribuía à etiqueta grande importância (medem o seu respeito e obediência), coloca-o acima dos outros de modo a que ninguém se confunda ou compare com ele.
    3- Os sentimentos provocados por Luís XIV aos cortesãos eram os de uma enorme alegria ao poderem contemplá lo e de supremo prazer ao passar quatro horas inteiras com o seu amo.
    4- Acima de todos está o rei que usufrui de todos as regalias a sua mercê num elaborado levantar em que o Senhor tem tudo o que necessita segundo o seu estatuto, é examinado por cirurgiões e altos dignitários, no quarto entram primeiramente a família real seguida dos príncipes de sangue e de mais dezenas de pessoas, após uma breve cerimonia religiosa entram o barbeiro e o criado encarregue das cabeleiras e assim sucessivamente, até que o rei esteja pronto vão entrando nos seus aposentos inúmeras pessoas numa sequência rígida e segundo uma ordem de hierarquias em que cabe a cada um uma devida função, desde ajudar o rei a preparar se (os criados) a simplesmente ficar assistir (cortesãos).
    5-As damas da corte consideravam que vestir a rainha fazia parte dos seus direito, pois era considerado uma honra e um privilégio a que todos queriam ter direito.
    6.1- O pormenor que evidência maior luxo, era o vestido deslumbrante com o tecido mais divino que jamais foi imaginado.
    6.2- Eram considerados extravagantes os penteados e os chapéus, a extravagancia das plumas, toucados e outros adereços atingiram o auge, bem como a altura dos penteados. O rei Luís XIV não suportava o uso desses penteados que duraram mais de dez anos.
    7- Os cortesãos atribuíam muita importância ao seu aspecto pois gostavam de se destacar e de ser o centro das atenções, fazendo com que todos reparassem e admirassem os seus belos penteados, as suas roupas e os seus adereços.
    8- A vida na corte de Versalhes era considerada um modelo a seguir, plena de brilho e ostentação de riqueza, o palácio por si só era luxuoso e de extrema grandeza e os nobres que nele habitavam faziam se sobressair adotando determinados hábitos e vestes, desde roupas em seda, bordadas a ouro e prata, cabeleiras super caras grandes chapéus e sapatos que os colocavam na moda, mostrando a seu importante estatuto e cativando atenção de outros. Os cortesãos grandes admiradores do rei faziam de tudo para cair nas suas boas graças e poder agrada lo, afirmavam ser "de um supremo prazer" dispensar de algum tempo com ele, poder observa lo nas mais pequenas coisas e obedecer aos seus pedidos.
    O rei alimentava esta idolatria criando eventos e festas, caçadas, nas quais os cortesãos podiam ter o prazer de participar.
    A vida em Versalhes completava-se com o respeito de hierarquias.
    O rei era soberano e encontrava se acima de todos, seguido da família real (rainha, príncipes de sangue), a nobreza e por fim os criados. O respeito por essa ordem de hierarquias pode ser observada no decorrer do levantar da rainha que primava pela etiqueta e seguimento de normas - A açafata vestia à rainha o saiote e a combinação, a dama de honor vertia-lhe a agua e vestia-lhe a camisa, caso se encontra-se presente uma princesa real esta ultima função era lhe atribuída, porem a camisa não lhe era entregue por a dama de honor, esta passava-a a primeira dama de quarto que por sua vez a entregava a princesa e caso lá se encontra-se uma duquesa a camisa era ainda entregue a esta ultima que finalmente a vestia à rainha.
    Nomes: Inês nº 10 e Raquel Santos nº 21
    Ano e turma: 11º H2

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afinal o resto das respostas estava aqui...
      Bom trabalho...

      Eliminar
  12. Página (41-44) João Santos nº13 11ºH2
    1-O Palácio de Versalhes não conseguia albergar tantos nobres naquele espaço. Mas moravam nas dependências do palácio ou sejas nos arredores. Os criados não moravam lá mas estavam lá todos os dias de manha.
    2-A etiqueta consiste em mostrar aos outros quem seria o mais poderoso ou mais respeitado assim mostrando isto com a maneira que nos comportamos assim podendo as outras pessoas terem nos mais obediência.
    3-Os sentimentos que Luís XIV provocava nos cortesãos é de admiração que tinham por ele assim crendo estar presentes em todas as fases do dia até mesmo quando o rei acordava era uma honra para eles .E por outro lado também idolatravam o rei como se fosse deus em pessoa.
    4-Isto significa que até para alguns assuntos como a ordem de entrada no quarto do rei (para verem o levantar do rei) era os criados e os médicos para verem se estava tudo bem com o rei , começava pela família real e depois pelos príncipes de sangue.
    5-O vestir a rainha faz parte dos direitos das damas da corte porque a rainha era a mulher ou esposa do rei supremo logo seria uma honra .
    6-O que evidencia o maior luxo e ter vestidos bordado a ouro e com todos os tecidos de topo e os chapéus representavam a extravagância que as pessoas queriam mostrar sendo maiores e mais vistoso.
    7-Os cortesãos uma das preocupações que teriam será com o seu aspeto para não serem gozados ou menosprezados então vestiam do melhor para se mostrarem.
    8- A vida no Palácio de Versalhes era uma vida repleta de luxo .A relação entre o rei e os cortesãos , era um respeito ,e com muita admiração mesmo até idolatravam o rei .
    As hierarquias eram respeitadas até para entrada no quarto do rei para o levantar do rei .
    Os sinais de riqueza seria os trajes,jóias,penteados,chapéus e calçado que as pessoas da corte usavam para mostrarem os coches maiores e melhores com mais cavalos , e a beleza exterior e interior do palácio em si isto tudo para o rei e a corte poderem mostrar aos outros o seu poder.

    ResponderEliminar
  13. Respostas da ficha de trabalho realizadas por Ivan Candeias e Ricardo Faria da turma 11H2

    1- A crise de alojamento era permanente pois Versalhes não foi construída para acolher toda a nobreza francesa.
    Era indispensável ao cortesão ter um alojamento no palácio, pois os criados que ficavam em Paris no paço dos residentes de alta condição apresentavam-se em Versalhes todas as manhãs e necessitavam desse alojamento para trocar roupa.

    2- Segundo Luís XIV a riqueza era muito importante pois dado a sua posição hierárquica o povo fazia juízos com base no que via por fora.
    Desempenhando Luís XIV o mais alto cargo na hierarquia era importante demonstrar a sua soberania distinguindo-se assim dos outros membros (da nobreza), para que ninguém pudesse ser confundido ou comparado com ele.

    3- De acordo com o doc.C os cortesãos idolatravam Luís XIV e sentiam uma grande necessidade de estar perto dele, o simples facto de o poderem contemplar os deixava felizes, demonstrando um enorme respeito pelo rei e tratando-o como um Deus.

    4- As hierarquias no quotidiano de Versalhes evidenciavam-se por quem passava mais tempo com o rei, ou seja, o rei escolhia um grupo de pessoas para o ver acordar, tomar o seu banquete com variadíssimos pratos a todas as refeições enquanto toda a gente fica a ver e a admirar, caçar, desfilar.

    5- As damas da corte consideravam que vestir a rainha fazia parte dos seus direitos, desta forma a dama que se encontrava na sala com maior importância seria a que iria vestir a camisa da rainha o que significava que a camisa ia passando de mão em mão, mas a dama a vestir a rainha seria a com mais elevado estatuto na hierarquia.

    6-A Nobreza sentia uma grande necessidade de demonstrar a sua realeza, A extravagância das plumas, toucados e outros adereços atingiu o auge no reinado do Rei Luís XIV, a altura dos penteados femininos que se elevavam através de chumaços e armações era um dos exemplos, esta grande necessidade de se evidenciar era devido ao facto da nobreza ter perdido grande estatuto com o absolutismo do rei.

    7-O aspecto para os cortesãos era muito importante, pois era partir deles que que demonstravam o seu estatuto e importância.
    As evidências disto era o uso das cabeleiras, que era bastante caro e quanto maior ela fosse mais caro seria que demonstrava riqueza.
    Os chapéus também quanto mais detalhados e maiores fossem mais luxuoso seria o cortesão.

    8-No palácio de Versalhes a vida da nobreza era toda feita lá por ser onde o rei se encontrava, era muito importante ser respeitado e ter uma aparência rigorosa e deslumbrante aos olhos dos outros, portanto o aspecto era algo importante para eles e sobretudo para o rei, pois era a partir disso que se transmitiam as aparências fundamentais para os que estavam de fora.
    As mulheres e homens usavam roupas com cores extravagantes, exageradas e com adereços que emane cessem o grande luxo da pessoa que o vestia.
    Para os homens era essencial um sapato de tacão alto, não só por uma questão de moda mas também porque dava jeito andar nas ruas enlameadas de Paris. Estes tinham adereços e laços enormes muitas vezes banhados em ouro e diamantes. As moscas eram usadas tanto por homens como mulheres.
    Era sempre uma honra participar nas cerimónias.

    ResponderEliminar
  14. Rafael Fernando Pataca Pinto, Nº19, 11º H2

    Ficha de trabalho:

    1- Sobre o palácio propriamente dito, podemos dizer que nele vivem quatro mil pessoas e duas mil e setecentas habitam nas dependências, ou seja, seis mil e setecentas pessoas alojadas a expensas do rei. Sobre a vida que nele se desenvolvia, podemos dizer que era indispensável ao cortesão ter um alojamento no palácio. Isso permitia-lhes mudar de roupa, descansar nos tempos mortos, tecer influências, estar no local dos acontecimentos.

    2- Na minha opinião a função atribuída por Luís XIV à etiqueta é que o povo é só regido por uma pessoa mas tem a função de eleger um que esteja superior aos outros e que é incomparável. Como podemos observar no documento B, através da seguinte frase "Como é importante para o público ser governado por uma só pessoa, também é importante para ele que aquele que desempenha essa função esteja de tal modo acima dos outros que ninguém se possa confundir ou comparar com ele e não se pode, sem lesar todo o corpo do Estado, retirar à sua cabeça os sinais de superioridade, e mesmo os mais ínfimos, que a distinguem dos seus membros.".

    3- Os dois sentimentos provocados por Luís XIV nos cortesãos era a idolatria pelo rei e a simples alegria de o contemplar.

    4- No documento D, "O lever du roi" começam por entrar às oito horas os cirurgiões (que examinam o rei) e os criados de quarto. Seguidamente entram os membros da família real, seguidos dos príncipes de sangue, do primeiro médico, do primeiro cirurgião e de altos dignitários da corte. Depois entra o barbeiro e o criado encarregado das cabeleiras. Por volta das oito horas e meia entra o médico ordinário, o intendente e outros dignitários que têm o privilégio de presenciar o rei. Mais tarde entram os altos funcionários e nobres. Por fim acabam por entrar os outros membros importantes da corte. No documento E, "O levantar da rainha" podemos afirmar que a rainha era um elemento bastante importante como podemos observar nas seguintes frases do texto "A açafata vestia à rainha o saiote e dava-lhe a combinação", "A dama de honor vertia-lhe a água para as mãos e enfiava-lhe a camisa", "Se, por acaso, uma princesa da família real se encontra-se presente enquanto a rainha se vestia, a dama de honor passava-lhe esta última função, mas não o fazia directamente"... Comparando os dois documentos percebemos que a rainha é importante mas nunca tão importante quanto o rei.

    5- As damas da corte consideram que vestir a rainha faz parte "dos seus direitos" porque a roupa da rainha era considerada uma obra-prima e por isso as damas da corte tinham que pôr esta tarefa acima de qualquer outra.

    6- Na minha opinião o pormenor que evidencia maior luxo são as cabeleiras. O pormenor que considero mais extravagante são os chapéus e os penteados.

    7- As duas evidências da importância que os cortesãos atribuíam ao seus aspecto estão apresentados nos documentos G e H. O documento G diz-nos que as cabeleiras viraram moda quando os nobres as começaram a usar para imitar o estilo do rei. O rei era o superior e todos queriam ser iguais a ele. O documento H diz-nos que os homens e as mulheres usavam as moscas para ajudar a esconder as imperfeições de pele e estas também ajudavam a realçar a brancura da pele.

    8- A vida no palácio de Versalhes era uma vida cheia de "glamour". O rei era a entidade máxima no palácio e era sempre muito observados por todas as pessoas que lá viviam. Muitos dos nobres ficavam honrados por serem convidados pelo rei para um simples passeio à volta do palácio ou por serem convidados para assistir ao seus levantar ou até para o ver comer. Este palácio foi mandado construir pelo rei Luís XIV para este conseguir afastar-se da vida e dos maus olhares de Paris.

    ResponderEliminar
  15. Sandra Conceição, nº 24
    Soraia Monteiro, nº 25
    10º H2
    ESCL - 2015/2016

    Respostas da página 44 do manual:

    1) No que toca ao palácio propriamente dito, viviam neste quatro mil pessoas e duas mil pessoas e setecentas habitam nas dependências. Devido a isto a crise de alojamento era permanente.

    2) A função atribuída por Luís XIV à etiqueta foi a superioridade do rei face a tudo e todos. O rei era inconfundível, incomparável, soberano e divino.

    3) Dois sentimentos provocados por Luís XIV nos cortesãos são a idolatria e alegria.

    4) As hierarquias no quotidiano evidenciam-se pela proximidade do rei e da rainha. Quanto mais próximo se era da família real, mais superioridade se obtinha.

    5) As damas da corte consideravam que vestir a rainha faz parte dos seus direitos, visto que era para elas uma honra estar junto à rainha.

    6) De acordo com tais documentos, o pormenor que evidencia maior luxo são os vestidos deslumbrantes, pois estes eram bordados, debruados e recamados com ouro. O pormenor mais extravagante eram os penteados da corte francesa. Esta extravagância demonstrava-se pelo uso de plumas, toucados, chumaços e armações que davam uma altura imensa aos penteados.

    7) Os cortesãos atribuíam uma grande importância ao seu aspeto, visto que estavam alojados no palácio real e sempre junto ao rei, ou seja, o seu aspeto tinha que ser sempre atrativo para agradar ao rei e poder tecer influências.

    8) A relação entre os cortesãos e o rei era de grande idolatria, respeito e contemplação por parte dos cortesãos. Estes veneravam o rei não só por terem acesso a benefícios (alojamento, vestuário, pessoas influentes), como também pela vida de grandeza e extravagância que o rei fornecia no palhaço de Versalhes.
    O respeito pelas hierarquias era extremamente inquestionável. Nobres, conselheiros, funcionários do rei, todos tinham uma determinada posição na corte seguindo as normas impostas e uma etiqueta minuciosa regrada pelo rei.
    A opulência dos banquetes, a riqueza do vestuário e principalmente a seis mil e setecentas pessoas alojadas a expensas do rei, eram os sinais exteriores de riqueza da vida de corte no Palácio de Versalhes.

    ResponderEliminar
  16. Afinal, sempre conseguiram publicar. Estranho como não o conseguiram fazer na primeira tentativa!?

    ResponderEliminar